Grandes remédios



     - Como se sente?
    - Dói-me, dói-me cá dentro, como se uma bomba tivesse explodido e calcinado todos os meus sonhos, memórias, esperança ou vontade de lutar, é uma aspereza, ou um buraco fundo e sem fundo, uma cave escura sem portas, o interior de um caixão.
     - Descreva-me melhor o que o levou a isso!
     - Não sei bem, acho que foi uma espécie de desgosto de amor, tinha uma esperança numa pessoa, alimentei sentimentos ternos e fantasias por ela e acabei por descobrir que essa esperança era irreal, farrapo de névoa a desfazer-se aos primeiros raios de Sol da manhã. Quando constatei isso caí desamparado na tal dor que mencionei. Não sei como sair disto.
     - Não se preocupe com isso porque nós tomaremos a sua recuperação nas nossas mãos. Vou-lhe receitar uns comprimidos para o efeito, vão-lhe causar alguma sonolência ou uma sensação de torpor e distanciamento daquilo que o rodeia, mas são efeitos temporários e reversíveis. Daremos instruções ao seu tutor laboral para aumentar o seu número diário de horas de trabalho porque nestas coisas a atividade acrescida tem um notório efeito salutar. Nos tempos livres, se não estiver a dormir, procure ver televisão no canal do Estado que, aliás, é o único que existe - também irá colher um grande benefício disso...
     - E acha que será suficiente, doutor?
     - Estou convencido disso, mas se porventura os sintomas persistirem depois desse tratamento, podemos inscrevê-lo numa daquelas florescentes cirurgias profiláticas ao sistema límbico. Uma pequena intervenção e passará a recuperar mais depressa das complicações afetivas e ficará mais fortalecido para outras complicações que possam surgir no futuro. Estas situações atrofiantes e improdutivas são escolhos nos desígnios que o Estado traça para os cidadãos.
     - Não sei como lhe hei-de agradecer, doutor?!
     - Sacuda esses resíduos virais do seu íntimo e trabalhe, trabalhe muito. Não deixe que uma mera doença lhe retire as oportunidades de que dispõe para que os outros sintam orgulho em si e no seu contributo para o país.

Mensagens populares deste blogue

A viagem

Abril de 1918 - o caminho para uma Primavera de sangue