João e Maria, uma história de amor

João ama Maria, Maria ama João. Começaram a namorar cedo, João imberbe e com acne, Maria franzina e de olhar sonhador. Os pais de Maria não aprovaram. João era pobre e não tinha futuro. Maria tinha de casar com alguém bem colocado na vida, e casaram-na com um velho. Maria aceitou. A decisão dos pais, e o velho que cheirava a velho sob a coberta perfumada de cetim da sua cama de menina. João não emigrou, não fugiu, nem se escondeu. Ficou sempre por perto, nas ruas por perto, nos bares da vizinhança. Maria e João continuaram a ver-se. Amavam-se, pois então. Viam-se às escondidas, e namoravam às escondidas, provando o fruto proibido nos lábios do Amor. Mal madurou um pouco, e se sentiu sustentada pelos esteios da sua própria vontade, Maria separou-se do velho e foi morar para o quartinho do João, para grande desgosto e condenação de quase toda a gente. Para Maria, era a única coisa sensata a fazer. Mas o peso dos outros, dos familiares e estranhos que moravam fora do quartinho deles, fazia-os sentirem-se asfixiados dentro dele. Decidiram emigrar os dois, procurar fortuna e liberdade num outro país. Foram os dois para a Austrália. Conseguiram arranjar um apartamento modesto para começarem uma nova vida, e ambos empregaram-se por lá. O dinheiro começou a entrar na casa e então João mudou. Fazia noitadas, jogava, bebia; batia na Maria, A felicidade dos dois era cada dia maior. Vieram os filhos, e nada mudou. João fazia noitadas, jogava, bebia, batia na Maria. Maria saiu de casa com os filhos, não por ser infeliz mas porque queria evangelizar a humanidade com o seu amor e a sua felicidade. João procurou-a, com a ajuda da polícia, não porque lhe desejasse mal ou aos filhos, mas porque queria contribuir e ajudar Maria a espalhar o amor que sentia por ele e pela vida. João vive desde então à procura da Maria e Maria a viajar pelos lugares onde ele não se encontra. E mais não narramos porque é difícil segui-los a ambos, mais os filhos; mas, em todo o caso, é uma bela história de amor inconclusa, que promete acabar bem como todas as belas histórias de amor

Mensagens populares deste blogue

A viagem

Abril de 1918 - o caminho para uma Primavera de sangue