A ave

Todas as manhãs, para a velha senhora do apartamento do rés-do-chão, a partida do vizinho de cima para o trabalho entrou na sua rotina diária. O vizinho possui um jeep que abre com um comando que ele aciona quando se encontra a poucos metros da viatura.
- Be-rup!
Quer esteja no quarto, na cozinha ou na sala, todas as manhãs, ela ouve o mesmo som.
- Be-rup! – parece-se com o trinado exótico de uma ave tropical de plumagem colorida.
- Be-rup! – pia o comando á Segunda.
- Be-rup! – pia á Terça, á Quarta e nos restantes dias da semana.
Uma manhã, ela ouve os passos pesados do vizinho quando se encontra na sala a regar os vasos de plantas, e fica á espera do piar do comando.
Mas o piar não surge, apenas o silêncio, sacudido pela voz do vizinho a resmungar e praguejar, muito exaltado.

Talvez o comando ou o jeep tenham voado - pensa a vizinha.

Mensagens populares deste blogue

A viagem

Abril de 1918 - o caminho para uma Primavera de sangue