Paciência

(Imagem: Shannon Marie)

   É preciso paciência. Para carregar com tudo o que os outros veem em nós, o que está fortuitamente próximo da verdade e o que é uma fraude ignóbil que os outros segregaram rebuçada em pus, tolerada por nós como se fosse algum bálsamo. 
   É preciso paciência, para defender a paz que nos roubam, os sonhos saqueados, a nossa vontade espezinhada. 
   É preciso paciência para viver, dia após dia, a merda de vida que nos consentiram – minguada, violada, estropiada e escarnecida. 
   E esperam de nós que sejamos pacientes, que saibamos esperar pelo que nunca virá, e que valorizemos e veneremos a sacrossanta paciência. 
   Porque esperam das ruínas, que saibam envelhecer com graça.

   Cuspo nisso!

Mensagens populares deste blogue

Abril de 1918 - o caminho para uma Primavera de sangue

A viagem