ABCDário - T de Tenebrário

                                 


    Do outro lado do mundo havia luz, muita luz, com o Sol a derramar-se pelo espaço como uma lagoa de lava a escorrer em espiral para uma cova próxima; mas ali, só a face da Lua brilhava a intervalos breves como se alumiada por explosões prateadas. No solo, tudo estava ás escuras, apagado, as luzes elétricas, os pirilampos e os peixes das profundezas, e o brilho dos olhos no rosto das pessoas mortas. Na igreja posta a céu aberto pela tremura da Terra, o Tenebrário ainda manteve as velas acesas por algum tempo naquela noite de Sexta-Feira Santa, antes de se apagar como o mundo enquanto o planeta, com as suas montanhas e os seus sonhos, deslizava com a Lua para o Buraco Negro que se abria junto a si como uma porta de trevas.

Mensagens populares deste blogue

A viagem

Abril de 1918 - o caminho para uma Primavera de sangue