Sem regras

   Jorge, é um rei que vive preocupado. O seu reino está em guerra e qualquer desfecho é possível; por isso preocupa-se, pelo reino e pela sua própria cabeça. Nessa manhã, o rei Jorge acorda particularmente anticlerical, e ordena que decapitem o debochado do bispo mesmo antes de tomar a primeira refeição da manhã. Quando, horas depois, dormita reclinado sobre a mesinha com o tabuleiro de xadrez, um guerreiro-pajem de rosto pintado (um espião) insinua-se nos seus aposentos e crava-lhe no coração uma adaga comprida e aguçada. A morte é imediata, e o guerreiro regozija-se com o que considera uma proeza, que o é certamente, se nos lembrarmos de que ele é apenas um peão do jogo de xadrez que se joga nos aposentos reais.


Mensagens populares deste blogue

A viagem

Abril de 1918 - o caminho para uma Primavera de sangue