[Funes, El Memorioso]


   Para Funes a memória não era apenas uma faculdade ou um órgão - era um portal de passagem, uma rutura de nível.
   É assim que, a agonizar na sua velha casa, revive com infinitos detalhes a realidade outra dos seus tempos de bebé, deitado no colo da mãe no alpendre, enquanto o pai adestra um cavalo no pátio, garboso, com o seu bigode prussiano, o casaco de pele de alpaca e as botas altas de couro. Enquanto se demora nessa memória, Funes procura não isolar esses pormenores, não lhes conceder um nome ou uma descrição, que só multiplicaria o que a sua memória retém e carrega.

Mensagens populares deste blogue

A viagem

Abril de 1918 - o caminho para uma Primavera de sangue