as manchas

   Habituou-se a dormir à noite com os cortinados da janela arredados para os lados para deixar a luz do luar e das estrelas entrar no quarto pelas vidraças. E isso agrada-lhe tanto que já puxou a cama grande para junto da janela.
   Por estes dias, apareceram-lhe na pele umas manchas esbranquiçadas nas têmporas e por cima do seio esquerdo.
   O marido diz-lhe que deve ser alguma doença de pele que ela apanhou, mas ela está segura de que se devem ao luar que vem sonhar com ela.

Sem comentários:

Enviar um comentário

arenga sobre o amor

«Tu és a mulher amada: destrói-me! Tua beleza /Corrói minha carne como um ácido! Teu signo / É o da destruição! Nada resta / Depois de ti ...