Miniatura 9

   Bioy Casares está sentado a uma mesa do café La Giralda de Buenos Aires na companhia de Borges.
   - Meu amigo, acabei de escrever esta manhã o último dum naipe de contos que constituirá, quiçá,  o mais celebrado livro de contos do nosso país! - anuncia em tom de brincadeira.
   Borges não mostra sinais de perturbação, e saboreia demoradamente o seu Quilmes.
   - Já os terminastes, então?...
   - Sim, como te tinha dito ainda agora.
   - E dar-me-ás o gosto de te ouvir a lê-los do primeiro ao último conto?
   - Sim, certamente, como sempre...
   - Então, não tenho motivos para sentir inveja de ti. Tu escreveste esses contos, mas a tua narração permitirá que eu viva dentro deles. Tirarei mais proveito deles sem que me seja exigido qualquer esforço.

Mensagens populares deste blogue

A viagem

Abril de 1918 - o caminho para uma Primavera de sangue