Miniatura 17

   "Quero que me ensines a ser uma pessoa normal, assim como tu - pediu ele - tens de me ensinar tudo, como andam, riem, choram, vestem as pessoas normais, como celebram a madrugada, os equinócios e solstícios, como são as suas cerimónias de iniciação à vida adulta e as suas orgias renovadoras, de que formas sacrificam à Mãe Terra e como aplacam a fúria do mar, como são os seus cânticos nos coros de bacantes e ninfas e de que forma elegem as sacerdotisas que mantém vivo o fogo do lar. Ensinas-me? Gostava muito de saber e prometo que não te embaraço! Cortarei esta barba hirsuta e pontiaguda, esconderei as orelhas compridas dentro dum capuz e usarei uns botins para disfarçar estes meus cascos de fauno".

Mensagens populares deste blogue

A viagem

Abril de 1918 - o caminho para uma Primavera de sangue