Miniatura 10

    O marido de Laura é um homem sensível, um sentimental. Também não tem passado muito bem dos nervos. É frequente acordar a meio da noite, aos gritos, sacudido por algum pesadelo. Laura sente pena dele e tenta acalmá-lo, abraça-o, faz-lhe festas na cara, segredando-lhe palavras tranquilizadoras ao ouvido. Por vezes isso excita-o, ou a ela, e acabam por se acariciarem e beijarem até consumarem o ato. Mas, na realidade, o marido de Laura nunca se sente muito seguro, e continua com uma réstia de medo a coruscar no seu íntimo, a mesma que urde os seus pesadelos e tempera de angústia os seus dias. Porque ele, e as suas feridas e equimoses, nutrem um medo que raia o terror, da mulher, Laura.

Mensagens populares deste blogue

Abril de 1918 - o caminho para uma Primavera de sangue

A viagem