O manuscrito mágico


- Este manuscrito que lhe apresento é um manuscrito mágico – garantiu-lhe o vendedor – possui virtudes e poderes que ainda não conseguimos compreender na totalidade. Está escrito com o sangue dum número indeterminado de pessoas sacrificadas e expõe todas as fórmulas mágicas recolhidas e validadas pelos anacoretas eruditos durante três séculos.
Conversa de vendedor. Foi a primeira coisa que pensou ao ouvir aquela revelação. Mas, ainda assim, olhou com uma curiosidade involuntária o manuscrito enrolado dentro do cofre.
- Está inteiramente escrito em latim, mas tive o cuidado de o traduzir. O resultado está impresso naquele livrinho que entrego anexo ao manuscrito. Ao fazer a tradução, como ao ler as fórmulas, acordam-se forças mágicas poderosas e qualquer coisa pode acontecer.
- Deixe-me ver se percebo…o senhor possui um manuscrito valiosíssimo, dedicou anos a estudá-lo e a traduzir as suas fórmulas, e agora deseja desfazer-se dele pelo preço irrisório que me apontou?!
- Sim, claro!
- Apenas para realizar algum dinheiro?! Acho muito suspeito toda esse desprendimento em relação àquele que será, porventura, o mais valioso dos seus bens!
- Mas pode confiar na minha palavra! Não há qualquer outro motivo para me desfazer do manuscrito! – garantiu-lhe o vendedor enquanto, com uma das mãos de dedos lenhosos, tentava manter fixo na testa o terceiro olho, vermelho como um rubi.


Mensagens populares deste blogue

A viagem

Abril de 1918 - o caminho para uma Primavera de sangue