aviso:

    Se não me encontrares nos lugares de todos os dias, procura-me no outro lado do tempo, onde as nossas memórias desfilam a par como dois potros ébrios de felicidade a correr em planícies inundadas de sol.

Sem comentários:

Enviar um comentário

arenga sobre o amor

«Tu és a mulher amada: destrói-me! Tua beleza /Corrói minha carne como um ácido! Teu signo / É o da destruição! Nada resta / Depois de ti ...