longe da verdade

- Queres sinceridade? Pois bem, cheiras mal, toda a pestilência e cheiro a podre do mundo são um eco simpático do cheiro fétido a merda do teu ego e do teu carácter. O que é que dizes da minha sinceridade?
- Que estás a ser insincera, o amor que sentes por mim é que origina esse teu discurso amável e bondoso...

Sem comentários:

Enviar um comentário

arenga sobre o amor

«Tu és a mulher amada: destrói-me! Tua beleza /Corrói minha carne como um ácido! Teu signo / É o da destruição! Nada resta / Depois de ti ...