INSTRUÇÕES:

Outros dados, e cartas, no final da página

Quatro (4) Recursos para Deixar de Ir Morrendo

           1 – Descasque a sua vida passada como uma cebola, camada a camada. Vá retirando as camadas mais supérfluas e depois as outras (Devo avisar desde já que o processo não é isento de dor, e pode originar algum sangue). Bem no centro de todas essas camadas há-de encontrar alguma coisa, a recordação dum momento, uma ferida em carne viva, um verso, uma imagem, as instruções dadas por um arcanjo ou um alienígena de olhos rasgados, ou um vácuo imenso. Segure naquilo que encontrar (se tal for humanamente possível), e mantenha-o seguro enquanto reconstitui aleatoriamente as camadas com resultados que podem não ser os melhores. Terminada a operação, o que você trouxe lá do fundo pode ser muito útil para reatar a caminhada, ou não.

Isto poderá permitir que deixe de Ir Morrendoooooooooo,
ou, pelo menos, que morra de uma vez só


2 – Nasça de novo como se voltasse a entrar no mundo. Limpe uma divisão da sua casa, de preferência pequena e acolhedora, e coloque aí todos os objectos que puder reunir que lhe estejam intimamente associados, álbuns de fotos, as suas roupas de criança ou dalgum dos seus filhos, brinquedos de antanho, livros, manuais escolares seus que você tinha encaixotado, diários, recortes de jornais, papéis rasurados, discos, as velhas cassetes de fita, etc, etc. Nessa divisão disponha todas essas coisas em círculo, rodeando um pequeno colchão no chão que servirá para você se deitar durante algum tempo (nove meses é um exagero, mas nove dias ou nove minutos são metas tangíveis a considerar). Em alguns pontos no meio dessas suas coisas, pode colocar garrafões com água ou óleo de linhaça para simbolizarem a placenta, e uns troços de corda de sisal ou mangueira de jardim que evoquem o cordão umbilical.
Preparado o ventre com os seus pertences nessa divisão da casa, construa um pequeno túnel metafórico a partir da porta dessa divisão (se houver mais do que uma, feche as restantes), o que pode ser conseguido com caixas grandes de cartão com os topos abertos, ou simples lençóis brancos suspendidos em alguns pontos por fio de pesca presos ás mobílias ou objectos, de forma a criarem um pequeno túnel abobadado a partir ou na direcção da dita porta (haverá ainda outras formas, mas deixo isso a seu cargo, seja criativo).
Temos todas as condições criadas. Tudo a postos, despeça-se das pessoas, se houver alguém para o fazer, percorra o túnel e isole-se dentro do ventre onde permanecerá algum tempo em gestação (apenas alguns segundos é desonestidade, e irá afectar a eficácia do processo). Cumprido o tempo que havia estabelecido, saia da divisão pelo canal improvisado, nasça de novo para o mundo, nutrido e fortalecido pelas muitas coisas que você já havia alienado; rejuvenescido, como se lhe tivessem tirado uns anos de cima dos ombros. Nessa altura da experiência talvez seja aconselhável, primeiro que tudo, um bom banho e uma refeição substancial como uma travessa de empadão ou de rojões á minhota.

Isto poderá permitir que deixe de Ir Morrendoooooooooo,
ou, pelo menos, que morra de uma vez só


3 – Atinja a plenitude de ser amado! Parece difícil, não é? Mas não, não é! É tão fácil como encontrar uma pessoa corrupta. O que deve fazer? Juntar todas as sombras de afecto, a simpatia ou a tolerância dos estranhos e conhecidos que pautam a sua rotina, a faladora amabilidade do homenzinho que cobra as cotas dos Bombeiros, o carinho dos antigos namoros (aqueles que não acabaram em despeito e pratos pelo ar), a paixão ou o desejo dalguém que doura o seu presente ou que pelo menos lhe oferece a possibilidade de dar umas quecas, a alegria opressora, osculadora e lambuzante das velhinhas que sobrevivem na família, principalmente das que são viúvas ou que permaneceram solteironas – o que é uma espécie de viuvez colorida – a fraternidade esfuziante quase evangélica das pessoas a quem dispensas uma gorjeta generosa, desde o barbeiro ou cabeleireira ao empregado do restaurante, o arrumador de carros ou o carteirista; a simpatia dos professores e mestres, mesmo quando estes estão empoleirados nos teus ombros, o afecto incondicional e lacrimeante dos chefes ou patrões que já tiveste até hoje, e que se emocionam facilmente quando se lembram de cada uma das vezes em que te sugaram o sangue. Junta tudo, todos esses retalhos e pedaços de que te lembras e, somando isso, verifica se não atingiste já a plenitude de ser amado. É muito provável que a resposta seja negativa e se assim for, é melhor pensares em mudar de nome e de terra e começar tudo de novo (mas de maneira que as Finanças não encontrem o teu rasto).

Isto poderá permitir que deixe de Ir Morrendoooooooooo,
ou, pelo menos, que morra de uma vez só


4 – Faça as malas, e vá em peregrinação até à Fonte da Juventude. Ainda antes que se desvaneça esse sorrisinho pateta dos seus lábios, deixe-me explicar que a Fonte da Juventude não é um mito, e existe no mundo real com direito a coordenadas geográficas e tudo. Contou-me o Florindo Nunes, que emigrou na flor da velhice para a Flórida com uma maleta cheia de medicamentos para o reumático, e que voltou de lá vinte anos mais novo e com provas dadas como atleta de futebol americano, e escoltado pelo mulherio todo da claque do clube onde jogou. A Fonte da Juventude situa-se numa ilhota no meio dos Everglades a N25º 60’58 . 56’’ e W 80º 88’40 . 94’’. Parece uma nascente comum, mas a sua água é pouco comum, tem a jusante as ruínas duma pirâmide em degraus construída pelos índios, para onde vão a gatinhar aqueles que abusam da água e ficam em pânico de serem devorados por aligátores. Contou-me o Florindo que é muito difícil sobreviver no caminho para essa ilha. As águas em volta estão repletas de crocodilos, e o solo firme da ilha é um ninho de aranhas venenosas e cobras de mordida mortífera, a que acresce o facto de existir na ilha uma segunda fonte cujas águas já fizeram desistir muitos aventureiros, porque não tem nenhum efeito mais do que o de provocar uma diarreia incessante e uma febre prolongada em que o infeliz tem delírios com crocodilos com asas de colibri que parecem ter sido criados por Botero. Apesar de tudo isto, faça as malas e vá à procura da Fonte da Juventude e desfrute dela, se lá chegar com vida.


Isto poderá permitir que deixe de Ir Morrendoooooooooo,
ou, pelo menos, que morra de uma vez só

Geena

                No rincão das matas enegrecidas, onde as árvores carbonizadas se assemelhavam a costelas fraturadas do corpo de uma ...