naos=caos

   Na casa onde, durante tantos, anos viveu a Esperança, todas as janelas e portas permanecem fechadas. Na frontaria, um papel da Funerária anuncia o seu falecimento. Uma cruz negro-cinza, o nome, Esperança, e as datas de nascimento e morte. Não há retrato, ninguém se lembrou de lhe tirar um quando ela era feliz e acreditava no futuro e nas pessoas e, para o fim, seria uma maldade fazê-lo quando a sua decrepitude e desesperança eram evidentes.

   Foi um golpe, e é um golpe tremendo vivermos sem a esperança.

   Quem, ou o quê, ocupará o seu lugar?

Mensagens populares deste blogue

A viagem

Abril de 1918 - o caminho para uma Primavera de sangue