Mão que fere - 1

   O seu pai tem a mão pesada, e quando encontrava oportunidade ou pretexto, arriava-lhe de bom grado. Depois disso, o pai ficava a pensar no assunto, e as conclusões a que chegava eram quase sempre as mesmas: “Tanta gente com bons filhos, que os estimam e cuidam deles, e a mim tinha logo de me calhar um que gosta de bater!”.

Sem comentários:

Enviar um comentário

arenga sobre o amor

«Tu és a mulher amada: destrói-me! Tua beleza /Corrói minha carne como um ácido! Teu signo / É o da destruição! Nada resta / Depois de ti ...