frugalidade

- Comemos demais nestes dias - avaliou a mulher ao seu lado na cama.
- Não comemos nada!!
- É claro que sim. Primeiro foi o Natal e o festim da Passagem do ano, depois os jantares, os aniversários, e as festas das chouriças.
- Nham! Não comemos nada por aí além!
- Muito, comemos muito, quilos e quilos de carne e peixe, bolos e doces. Reconhece!
- Comemos um pouquito mas não mais do que noutras alturas do ano.
- Está bem, não vamos discutir agora, porque sinto-me demasiado cheia para me irritar. Vou ver um pouco de televisão. Onde é que deixaste o comando?
- Ficou em cima da cómoda...
- Tu é que o deixaste lá, por isso, cabe-te a ti rolar até á cómoda para o ir buscar!

Mensagens populares deste blogue

A viagem

Abril de 1918 - o caminho para uma Primavera de sangue