cidade invisível

   Há três anos, mais coisa, menos coisa, que tenta encontrar a saída da cidade onde se encontra. Não sabe como foi ali parar, nem sequer, como ela se chama. E o mais estranho é que quando pergunta o seu nome, respondem-lhe que se chama Cidade Eterna, mas quando inquire ao seu interlocutor se ele refere a Roma, este nega sempre, com extrema e tranquila polidez.


Sem comentários:

Enviar um comentário

arenga sobre o amor

«Tu és a mulher amada: destrói-me! Tua beleza /Corrói minha carne como um ácido! Teu signo / É o da destruição! Nada resta / Depois de ti ...