quem é quem?

     Encontrou um velho senil na rua e levou-o à polícia (estava preocupado com ele, porque não parecia saber quem era nem onde morava). Aí, os polícias resolveram a situação com salomónica sabedoria, trocando-lhes os papéis e roupas, após o que deram aos dois instruções precisas sobre quem deveria encontrar quem, antes de os voltarem a ver de novo na esquadra.

1 comentário:

arenga sobre o amor

«Tu és a mulher amada: destrói-me! Tua beleza /Corrói minha carne como um ácido! Teu signo / É o da destruição! Nada resta / Depois de ti ...