8'BRO 4: (entre)

  (quando os olhos se habituam ao quarto na penumbra, as formas emergem da escuridão como cadáveres frios depois dum naufrágio, mas as películas de pó tocadas pela luz débil que se coa pelo buraco da fechadura incendeiam-se diante das nossas pupilas, e precipitam-se riscando a escuridão aos pés da cama e sobre os nossos pés, fazendo-nos sentir o calor fosfórico e irreal desses asteróides longínquos).



2 comentários:

  1. que bonito!
    embora difícil de ler no escuro!

    ResponderEliminar
  2. Era a fonte que estava pequena, devia estar a adivinhar seca ;)

    ResponderEliminar

arenga sobre o amor

«Tu és a mulher amada: destrói-me! Tua beleza /Corrói minha carne como um ácido! Teu signo / É o da destruição! Nada resta / Depois de ti ...