INSTRUÇÕES:

Outros dados, e cartas, no final da página

8'BRO 8: Coerência

     Joana d'Arc, uma jovem camponesa, não conseguia sossegar com aquela voz insistente na sua cabeça a repetir-lhe - "Vai, vai ter com o teu rei. Contigo a defendê-lo dos inimigos, a França e tu terão paz, e não haverá fome nem frio!". Joana obedeceu, tornou-se o braço armado de Carlos VII, a sua espada vitoriosa como a espada dum arcanjo e, mesmo então, no fragor das batalhas mais encarniçadas, a mesma voz ecoava na sua cabeça: "Prossegue, não desistas, a vitória está muito perto, e com ela, tu e a França não terão fome nem frio". Quando a estrela de Joana empalideceu até se extinguir, Joana foi julgada e condenada à fogueira. Concederam-lhe uma última refeição, confessou e foi amarrada ao poste. Quando os verdugos pegaram fogo à lenha, e grossas línguas de fogo se elevavam em volta, a mesma voz voltou: "Eu sempre te prometi que não terias fome nem frio...".

Geena

                No rincão das matas enegrecidas, onde as árvores carbonizadas se assemelhavam a costelas fraturadas do corpo de uma ...