8'BRO 7: O meses do ano

       As crenças e ditos populares contêm sempre algo de verdadeiro que cabe aos mais instruídos destrinçar e apurar. É crença generalizada que o clima que faz nos primeiros dias do ano correspondem, como na relação micro/macroscosmo, ao clima que fará nos meses desse ano que correspondem a cada um desses dias (exemplo: 1ºdia / Janeiro, 2º dia / Fevereiro, e por aí fora). Como possuo alguma formação científica, dei-me ao trabalho de registar minuciosamente as condições de tempo em Portugal Continental nos primeiros dias de Janeiro deste ano, no geral e por distritos. Concluída a primeira tranche do trabalho, aguardei o transcorrer dos meses, sempre a apontar e registar. Nesta altura do ano, com praticamente dois meses para o final, já me é possível apresentar algumas conclusões provisórias e sujeitas a correcção.
    Devo começar por referir que a crença apontada possui uma veracidade impressionante. O estado de tempo dos primeiros dias do ano corresponde no geral ao clima do mês correspondente. O dia 1 de Janeiro, por exemplo, foi um dia de temperaturas amenas e condições de vento fraco e agitação média das águas do mar, verde no espectro dos extremos de temperatura. Tal como o mês de Janeiro. Poder-se-à argumentar que apenas se registou a continuação das condições climáticas desse primeiro dia, mas os riscos de se simplificar demasiado são notórios pelo que se segue. O quarto e quinto dia foram invulgarmente quentes para esta altura do ano, tal como os meses de Abril e Maio. Pelo contrário, Junho, Julho e Agosto pareceram um Verão deslocado, porque as temperaturas foram inferiores ao que esperava para estes meses, tal como baixou a média de temperatura o sexto, sétimo e oitavo dia do ano, voltando estas a subir para o nono e décimo dia de Janeiro, tal como o clima para Setembro e Outubro.
    Nesta altura, posso ainda acrescentar que o décimo e décimo primeiro dia do ano foram muito frios e chuvosos, e, não é para vos assustar, porque ainda estamos em Outubro, mas o décimo segundo dia do ano foi caracterizado por vendavais um pouco por todo o lado e temperaturas com máximos de temperatura negativa (em Ermesinde e nas Penhas Douradas, por exemplo), e que o décimo terceiro dia, que corresponderá ao décimo terceiro mês, foi de uma rotunda e completa catástrofe climatológica.
     Continuamos a aguardar os desenvolvimentos do clima, que registamos com minúcia, para completar o nosso estudo. E, para o ano, talvez o repitamos para confirmar (ou não) as conclusões deste.

Mensagens populares deste blogue

A viagem

Abril de 1918 - o caminho para uma Primavera de sangue