pós-conceito

- Convidas-me para entrar em tua casa?
Ela mirou-o de alto a baixo. Os sapatos pequenos de mais, o volume na perna causado pela cauda enrolada, o chapéu de palhinha na cabeça para ocultar os chifres serrados.
- Não sei se deva...E também tenho visitas em casa!
- Seja! De qualquer forma, fico muito contente. A tua mãe iria gostar de saber que as operações resultaram, e que ninguém te distingue duma humana.

Sem comentários:

Enviar um comentário

arenga sobre o amor

«Tu és a mulher amada: destrói-me! Tua beleza /Corrói minha carne como um ácido! Teu signo / É o da destruição! Nada resta / Depois de ti ...