"sem chama"

   No espectáculo de circo todos na aldeia adoraram ver o prolongado número do homem traga-chamas. Na manhã seguinte, uma manhã cinzenta e gelada, ninguém na aldeia tinha fogo. 
   Foi um dia terrível para a chegada das primeiras neves.

Sem comentários:

Enviar um comentário

arenga sobre o amor

«Tu és a mulher amada: destrói-me! Tua beleza /Corrói minha carne como um ácido! Teu signo / É o da destruição! Nada resta / Depois de ti ...