Dos milhões de palavras que existem, ela seleccionou apenas as mais afiadas e contundentes, estas, de lâmina em fio, aquelas, aguçadas como dardos, aqueloutras, pesadas como martelos de ferreiro. E usou-as sabiamente, com a ciência e a paciência dos torturadores. Deixou-a a sangrar por dentro e sumiu-se pelas vielas como um assassino encapuçado.

Mensagens populares deste blogue

Abril de 1918 - o caminho para uma Primavera de sangue

A viagem