INSTRUÇÕES:

Outros dados, e cartas, no final da página

GPS

   O automóvel rolava na estrada, o som monótono do motor e das rodas só era interrompido pela voz do GPS reconfigurado.
   «A duzentos metros, rotunda. Virar na primeira saída à direita, seguir durante oitocentos metros e encontrarão o barranco do miradouro, o primeiro local ideal para tentar o suicídio».
   Os dois entreolharam-se. Naamm - lia-se nos seus olhos. Pouco passava das duas, ainda era tão cedo!
   Encontraram a rotunda, viraram à direita, andaram oitocentos, mil metros.
   «Caminho errado. Quando possível, inverter a marcha e regressar ao miradouro!»
   Continuaram. A mensagem de erro ainda foi repetida duas vezes, antes de perder a sua importância.
   «No próximo cruzamento, virar à esquerda. A duzentos metros, poço a descoberto à direita da estrada, poço profundo que engole todos os que aí se atiram devido a plantas aquáticas e raízes que atravessam as paredes do poço».
   Sem sequer se consultarem um ao outro, chegaram ao cruzamento e viraram à direita.
   «Caminho errado. Quando for possível, regressar ao cruzamento e seguir em frente...Caminho errado...»
   O pé premiu ainda mais o acelerador, afastando o carro do cruzamento.Um pouco mais adiante, o GPS voltou à carga.
   «Rotunda a seiscentos metros. Seguir em frente até à falésia diante do mar. A falésia não tem resguardo, é só seguir em frente...».
   - Achas que saltemos agora? - Perguntou ele.
   - Não sei, está um dia bonito e cheio de Sol, a vista da falésia deve ser fabulosa - sugeriu a esposa.
   Mal acabara de falar, o Sol escondeu-se, e o dia ficou sombrio e triste como o xaile negro duma viúva.
   - A que distância é que estaremos de lá? - Perguntou ela, remoendo as suas palavras.
   «Rotunda a duzentos metros. Seguir em frente até à falésia diante do mar...»

Dicionário

                O “seu” dicionário não tinha muitas palavras, e entre estas, havia muitas quase virginais, intocadas, outras devassadas e p...