O corpo é simples, o amor é simples, sentiam os dois no fundo do seu íntimo enamorado e feliz, abraçados e entrelaçados como papoilas silvestres. Mas eram pequenos, e o mundo era grande e assustava, rondava o refúgio do seu amor adolescente e doce como pés monstruosos e gigantes que espezinhassem tudo em volta, impondo a submissão e o jugo. 
  O corpo é simples, o amor é simples, diziam agora os dois, já não acreditando no que diziam. 
  Papoilas silvestres. 
  Esmagadas.

Mensagens populares deste blogue

A viagem

Abril de 1918 - o caminho para uma Primavera de sangue