INSTRUÇÕES:

Outros dados, e cartas, no final da página

Projecto de vida

    Uma aldeã enorme e avantajada, surpreendeu os vizinhos ao plantar três árvores no pátio da sua casa.
    - Para que é queres as árvores? – Perguntaram-lhe, de rosto erguido para ela.
    - São amoreiras. Vou criar as árvores e nelas vou criar bichos-da-seda, e quando tiver seda que chegue, vou criar um vestido para com ele procurar noivo.
    E assim foi. As árvores cresceram, o que levou o seu tempo, nas árvores criou bichos-da-seda, dos quais recolhia diligentemente os casulos (o que também não acontecia todos os dias) e quando começou a ter uma quantidade apreciável de seda e planeava iniciar o vestido, morreu, de velhice. Depois do funeral, os vizinhos atreveram-se a espreitar a sua casa, a medo, como formigas num carreiro. As portas e as mobílias tinham dez vezes o tamanho normal, e em duas divisões da casa, maiores do que celeiros, distribuía-se a seda e os meticulosos preparos para o vestido projectado.
   - Quantos séculos pensava ela que iria durar? – Perguntavam-se.

A sombra dos dias

               Um galão direto e uma torrada com pouca manteiga  - pediu a empregada no balcão à colega. Podia até ter pedido antes,...