Silent Night

Na noite profunda da cidade, as luzes mantinham-se despertas, havia as decorações natalícias floridas e luminosas das ruas, as decorações natalícias coloridas e sugestivas das montras com as luzinhas faiscantes em cadências programadas, o brilho trémulo e natalício do olhar dalguns transeuntes em marcha.

Dentro da noite profunda da cidade, um homem solitário cruzava esse esplendor de luz, e dentro dele, havia uma sombra por cada luz ou enfeite natalício em seu redor.


Sem comentários:

Enviar um comentário

arenga sobre o amor

«Tu és a mulher amada: destrói-me! Tua beleza /Corrói minha carne como um ácido! Teu signo / É o da destruição! Nada resta / Depois de ti ...