processo

O que o atraía naquela sripper, era a sua eruptiva e obsidiante sensualidade. Procurou ser-lhe apresentado, e conseguiu, saíram umas vezes, conversaram, e ele deu-se conta de que nas suas conversas, ela se despia como no palco, despia aparências, adereços, falsidades aceites levianamente, equívocos assumidos. Isso foi tornando aquela mulher mais complexa e rica aos seus olhos, até á altura, ingrata, em que ela começou também a despir a pele, na vida e no palco.

1 comentário:

  1. As quedas físicas são tão feias e dolorosas como as do espírito!
    achei triste este conto.

    ResponderEliminar

arenga sobre o amor

«Tu és a mulher amada: destrói-me! Tua beleza /Corrói minha carne como um ácido! Teu signo / É o da destruição! Nada resta / Depois de ti ...