O espelho generoso

Clonaram uma mulher bela, uma celebridade, que foi criada como sua filha natural, e parecendo-se-lhe em tudo, como duas metades iguais dum medalhão. Igualmente vaidosa e egocêntrica, fez-se uma mulher, e na mesma idade em que a sua mãe antes dela, desenvolveu a mesma angústia perante as primeiras marcas da idade, os ténues pés-de-galinha em volta dos olhos, os primeiros e tímidos cabelos brancos. Casou e engravidou, mas só no hospital, enquanto esperava a boa hora, é que o médico lhe explicou o que todos haviam omitido
- Isso quer dizer que o meu filho pode ser diferente de mim?! -  Gritou em desespero.

Sem comentários:

Enviar um comentário

arenga sobre o amor

«Tu és a mulher amada: destrói-me! Tua beleza /Corrói minha carne como um ácido! Teu signo / É o da destruição! Nada resta / Depois de ti ...