Aparências

Ao pequeno caniche, passeava-o a dona, preso por uma trela formada por uma corrente metálica grossa, plastificada. O caniche era de facto pequeno, quase anão, e bastante velho, que a lã já lhe caíra dos quartos traseiros, mas o que surpreendia a todos é que o animal tinha enfiado dois açaimes no focinho, um sobre o outro, mais uma coleira reforçada, e uma cinta de cabedal da perna da frente á de trás, para impedir que perseguisse pessoas ou tentasse saltar alto, para a garganta dalguém. Quando surpreendia um olhar mais intrigado, a dona cochichava, cúmplice – “Ele é uma fera! Qualquer dia, não me deixam tirá-lo do apartamento!”. E lá seguiam os dois, a senhora, e o cachorro atrofiado com tantas protecções.

Mensagens populares deste blogue

A viagem

Abril de 1918 - o caminho para uma Primavera de sangue