Sexta-Feira santa

O marinheiro fumou um cigarro, deitado no convés sob a luz das estrelas. Um braço feminino envolveu o seu peito, e a voz doce da sereia perguntou-lhe ao ouvido.
- Estás contente por eu ter aparecido?
- Estou, e hoje, não podia mesmo comer carne!

Mensagens populares deste blogue

A viagem

Abril de 1918 - o caminho para uma Primavera de sangue