mística fotónica

Sempre sentiu dentro de si,
   esse fascínio, atracção, pelo
      alto
         pelo que está acima de 
             si, pela luz superior,
                que brilha acima
                da sua cabeça e da sua vida,
             umas vezes 
         a luz do farol, 
      outras o Sol, 
   outras a luz da lâmpada 
no tecto

arenga sobre o amor

«Tu és a mulher amada: destrói-me! Tua beleza /Corrói minha carne como um ácido! Teu signo / É o da destruição! Nada resta / Depois de ti ...