INSTRUÇÕES:

Outros dados, e cartas, no final da página

Maiudência


No próprio instante em que a excursão chegou ás ruínas de Delfos, o turista nipónico separou-se do seu grupo para poder captar melhor o ambiente e a mística do lugar com a sua máquina fotográfica. De calções e mochila, chapéu largo de jardinagem e óculos de aros grossos, caminhou, escalou, esgueirou-se por entre caminhos de pedra, muros em ruínas e colunas coríntias. Fotografou quase tudo o que via, os monumentos, o Parnaso, as encostas verdejantes, os regatos murmurantes onde em tempos se haviam refrescado sibilas e deuses. Era estranho pensar que meio mundo antigo considerava aquele lugar, o Umbigo do Mundo, o Centro, ponto sagrado do cosmos onde um eixo invisível unia a terra ao céu e aos infernos. Reuniu-se ao seu grupo e prosseguiu com eles, satisfeito com o acervo de imagens que reunira. Próximo ao Tholos de Delfos, um comerciante empreendedor montara uma pequena tenda adossada a uma muralha onde vendia souvenirs - postais, pedaços de pedra que afirmava terem pertencido ás ruínas, réplicas de vasos gregos, figurinhas evocativas dos antigos gregos e dos seus deuses consagrados.
Na muralha, por detrás do comerciante, estava pendurada uma ilustração do rochedo da sibila, com uma serpente enrolada em volta. O pequeno quadro estava torto, e o nosso turista fez menção de o endireitar, mas um olhar de poucos amigos do comerciante, demoveu-o do intento. Mas não desistiu, fez que fez que folheava uns postais ao pé do quadro, esperando o momento certo. O centro do mundo não podia estar assim inclinado, ao menos este, que o outro, o eixo de rotação da terra, estava, de facto, inclinado. Aproveitou quando o comerciante tentava vender uns tapetes á entrada, esticou-se todo e endireitou o quadro, e nesse preciso instante, todos gritaram em coro porque o chão parecia ter-lhes fugido debaixo dos pés. O solo plano sob os seus pés adquirira a inclinação anterior do quadro, e não só o chão, o recorte das colinas e do monte Parnaso, as árvores e a verticalidade daquele sol do meio-dia. Antes que o turista pudesse reagir, já o vendedor alcançara o quadro em três pulos de lebre, e voltara a incliná-lo na parede, repondo a normalidade do universo, ao mesmo tempo em que lhe dirigia copiosas obscenidades, represadas pela barreira da língua.

Dicionário

                O “seu” dicionário não tinha muitas palavras, e entre estas, havia muitas quase virginais, intocadas, outras devassadas e p...