INSTRUÇÕES:

Outros dados, e cartas, no final da página

Um conto Sufi

O Velho que Nunca Amou

Contam que o elevado e santo Bajezid Bistami orava diante duma multidão que estava presa das suas palavras e que, no auge deste encantamento, quando seu discurso enlevava a todos, entrou um fumador de ópio, e com a fala algo arrastada disse:

- Mestre, perdi o meu burro. Ajude-me a encontrá-lo.

- Paciência, meu filho, eu vou achá-lo! - disse-lhe Bajezid Bistami, continuando o seu sermão.

Após algum tempo, enquanto ainda discursava, perguntou aos presentes:

- Existe alguém entre nós que nunca amou?

- Eu - disse um velho, levantando-se - eu nunca amei ninguém desde a minha mais remota juventude. Nunca o fogo da paixão consumiu a minha alma. Para que não turvasse a limpidez da minha mente, nunca deixei o amor ocupar o meu coração.

O venerando Bajezid Bistami voltou-se então para o fumador de ópio, que pouco antes o havia interrompido, e disse-lhe:

- Vê, meu filho, acabo de achar o teu burro! Pega-o e leva-o daqui.


Dicionário

                O “seu” dicionário não tinha muitas palavras, e entre estas, havia muitas quase virginais, intocadas, outras devassadas e p...