- Mãe, eu não gosto de palhaços, tenho medo deles!
- Eu também, filha, eu também! – respondeu a mãe, enquanto o palhaço, armado de um revólver, recolhia as carteiras dos convidados da festa.

1 comentário:

arenga sobre o amor

«Tu és a mulher amada: destrói-me! Tua beleza /Corrói minha carne como um ácido! Teu signo / É o da destruição! Nada resta / Depois de ti ...