escheriano

Quem olhasse com atenção aquela garrafa sob a mesa mal iluminada do anexo, muito dificilmente a consideraria desprovida de interesse. Continha um mundo dentro das suas paredes de vidro. Pela diminuta abertura do gargalo, haviam montado peça sobre peça um barco a vapor, com todos os detalhes, e pintada com arte. O madeiramento, as vigias, a roda gigante na popa, e a mesa no convés, exactamente igual àquela em que a garrafa repousava, e onde, sob uma parca luz e com gestos quase imperceptíveis, um velho de barbas brancas compõe dentro duma garrafa de vidro, as peças dum barco a vapor.


Mensagens populares deste blogue

A viagem

Abril de 1918 - o caminho para uma Primavera de sangue