desconforto

- Amo-te e tu és a mulher da minha vida - confessou ele, arrebatado.
- Também gosto de ti, mas não posso aceitar isso, as vidas são muito grandes e é muita responsabilidade. Não me voltes a dizer isso, a não ser, que penses morrer em breve.

Mensagens populares deste blogue

A viagem

Abril de 1918 - o caminho para uma Primavera de sangue