boas notícias

O sofrimento da dona Eulália não podia ser mais terrível, o seu filho, o Humberto, que ainda vivia em casa apesar dos seus trinta anos, andava enrolado com uma mulher muito mais velha do que ele, e que já dobrara a esquina dos cinquenta. Soubera-o pelas amigas, que haviam enegrecido o retrato, a mulher, além de mais velha, exercera já a mais antiga profissão do mundo, e agora especializara-se no ofício de madame, tendo sob a sua tutela três profissionais de origem eslava. O meu Beto, soluçava a mulher pelos cantos, em vez de arranjar uma noiva e criar família, anda metido com uma velha. O marido não se deixou contagiar por esse rosário de lamentos e prantos, era mais prático, e era homem. Pediu ao Humberto para o ajudar a mudar o óleo do carro, e enquanto os dois bebiam uma cerveja na garagem, perguntou-lhe:

- A coisa com a tipa, é sério?

- Não, claro que não, fui até lá para um encontro com uma das meninas e acabei por preferir a mulher feita.

- E na cama, como é que ela é?

- Do melhor, tem a escola toda e gosta do que faz, acho que, por ela, não saía de lá o dia todo.

- Ainda bem, ainda bem…ao contrário do que a tua mãe diz, não acho que tenhas falta de gosto.

E a conversa ficou por ali, os dois voltaram para dentro de casa, lavaram as mãos e Humberto saiu de imediato para reciclar o óleo usado. Mal a porta se fecha, a dona Eulália pergunta de estalo.

- E então? Conversaste com ele?

- Conversei! E acho que não precisas de andar tão preocupada. Afinal, tal como desejavas, o teu filho já arranjou noiva..

Mensagens populares deste blogue

A viagem

Abril de 1918 - o caminho para uma Primavera de sangue