- Eu acho que ele é invejoso, e orgulhoso.
- Eu também, se ele era subalterno e subordinado, porque é que quis tomar o lugar do outro?
- Sim, por aí vê-se logo, podia ficar quietinho no seu canto sem fazer ondas, e escusava de começar uma guerra. Também temos de dar-lhe algum desconto porque a história é sempre escrita pelos vencedores e esses anjinhos sonsos acentuaram-lhe muito os defeitos.
- Vale! Mas é melhor ficarmos por aqui, porque acho que é ele que vai a passar.
- É o que eu digo! Fala-se no diabo e ele aparece!

Sem comentários:

Enviar um comentário

arenga sobre o amor

«Tu és a mulher amada: destrói-me! Tua beleza /Corrói minha carne como um ácido! Teu signo / É o da destruição! Nada resta / Depois de ti ...