O lobo disse ao ingénuo Pedro: Vai lá, diz que eu apareci e que quero comer-te o rebanho. E Pedro foi, e em vão, porque no regresso, não se via lobo nenhum, e as pessoas a quem pedira ajuda, olhavam-no com desconfiança. E o lobo repetiu a graça uma e outra vez até deixarem de acreditar nele, porque o lobo desaparecia e Pedro ficava cercado pela animosidade dos populares. E vendo que o lobo se divertia à sua custa, Pedro caiu em si e fez publicar um anúncio no jornal para se dissociar das partidas do lobo, e contactou um seu tio, advogado, para mover ao lobo uma acção judicial por danos morais e cívicos.

Mensagens populares deste blogue

A viagem

Abril de 1918 - o caminho para uma Primavera de sangue