Sangueira

Ele era uma pessoa fora de comum, um nobre, e como todas as pessoas fora de comum, mereceu um tratamento especial, estenderam-lhe uma comprida tapeçaria vermelha da base do primeiro degrau ao centro do estrado, onde estava pregado um outro tapete, também vermelho vivo, mas de forma quadrada. Ideia muito prática, que tivera o camponês a quem haviam encarregue de limpar o estrado onde fora montada a guilhotina.

3 comentários:

  1. Mas, não dizem que nobres têm sangue azul? :D

    ResponderEliminar
  2. O camponês era daltónico, e ninguém o avisou ;)

    ResponderEliminar

arenga sobre o amor

«Tu és a mulher amada: destrói-me! Tua beleza /Corrói minha carne como um ácido! Teu signo / É o da destruição! Nada resta / Depois de ti ...