Pânico

Teve um pesadelo horrível, mau-sonhou que estava no meio duma cidade, mas na cidade não havia pessoas, apenas camaleões e rãs, por todo o lado, pendurados em cachos nos candeeiros de rua e nos túneis do metropolitano, a invadir todas as ruas e escadarias como marés vivas de milhares, milhões de seres coloridos e brilhantes, a agitar as línguas viscosas como chicotes ameaçadores. Foi então que acordou, e agitou as asas de alegria, pousada num cagalhoto de cão na berma duma estrada.

Mensagens populares deste blogue

A viagem

Abril de 1918 - o caminho para uma Primavera de sangue