Escreveu a sua autobiografia, que só foi publicada postumamente. A edição em papel não ficou como ele desejava porque não arranjou maneira de introduzir algumas correcções.

1 comentário:

arenga sobre o amor

«Tu és a mulher amada: destrói-me! Tua beleza /Corrói minha carne como um ácido! Teu signo / É o da destruição! Nada resta / Depois de ti ...