Cauteloso

A jovem dorme profundamente no seu leito, nua sob os lençóis, com o alvo pescoço a emergir deles como se tivesse sido afeiçoado em marfim. Na escuridão do quarto passeia-se o vampiro como um pirilampo, empunhando uma vela acesa. Está esfomeado, os dentes salientes a gotejar de sede e desejo, mas contém-se enquanto vasculha nos papéis dela, e na carteira abandonada em cima duma cómoda, procurando, caso haja, o seu último teste de HIV.


Mensagens populares deste blogue

A viagem

Abril de 1918 - o caminho para uma Primavera de sangue