Toponímia urbana

Já tinha passado muito perto da Rua da Amargura, e espreitado o Beco do Fim, mas onde vivia mesmo, era na Praça do Marasmo, na esquina entre as confluentes Rua da Saudade e Travessa do Nunca.

3 comentários:

  1. maria.c16:14:00

    isso podia descrever-me, hoje.

    ResponderEliminar
  2. E quando se vem da praça da Alegria, atravessa a Rua dos Prazeres e acabamos dentro, presos na Torre do Tombo!
    É só uma brincadeira, suas idéias são sempre tão boas!

    ResponderEliminar
  3. Maria, há sempre dias em que montamos tenda na Praça do Marasmo.

    Angela, hoje, se ficassemos presos na Torre do Tombo (o nosso Arquivo Nacional), tinhamos sempre qualquer coisita para ler ;)

    ResponderEliminar

arenga sobre o amor

«Tu és a mulher amada: destrói-me! Tua beleza /Corrói minha carne como um ácido! Teu signo / É o da destruição! Nada resta / Depois de ti ...