INSTRUÇÕES:

Outros dados, e cartas, no final da página

Para tranquilidade e paz d’alma do seu parceiro, começou a fingir que sentia prazer, e, por fim, fingia que sentia, simplesmente. Ele sentiu-se chocado quando ela saiu de casa, justo ela, que tinha tantos orgasmos que ele receava que o seu coração, um dia, não aguentasse.

3 comentários:

  1. Seus contos são tão prazenteiros de fato que, posso jurar,seus leitores jamais abandonarão esta casa!

    todos os contos postados hoje são primorosos!

    ResponderEliminar
  2. Obrigado, Angela. Limito-me a tentar trabalhar em algo de que gosto; as visitas e a sua relevância são coisas muito relativas e ficamos a marcar passo se isso nos causar ansiedade. Perco mais tempo com sentimentos e State of Minds, do que com sitemeters e statcounter's ;)

    ResponderEliminar
  3. José, entendo e concordo cem por cento contigo. Creio que escrever é bem diferente de representar. Talvez no palco seja necessário a presença e a aprovação da platéia; não sei, não é minha função.
    Quis fazer uma brincadeira em paralelo ao seu conto, não fui bem sucedida, pelo jeito!

    ResponderEliminar

Rainha

                Subiu lesto os parcos degraus que separavam o átrio do hotel do recinto sobrelevado onde haviam instalado a receção. Ab...