Espirais

O cadáver foi encontrado num terreno baldio, muito mutilado. A polícia tomou conta do caso, havia que identificar a vítima, mas isso não seria tarefa fácil. Os olhos haviam sido arrancados, e cortadas as mãos - decerto que por causa das impressões digitais - e para além disso, o corpo apresentava-se esfolado num dos ombros e parte das costas, provavelmente, para remover alguma tatuagem significativa.
Isto é trabalho de profissionais, crime organizado, avaliou o inspector, mas nós não estamos na Idade da Pedra, temos o ADN!
O trabalho da polícia científica confirmou a opinião do inspector, aquilo era mesmo trabalho de profissionais - as moléculas de ADN tinham sido todas desenroladas.

1 comentário:

arenga sobre o amor

«Tu és a mulher amada: destrói-me! Tua beleza /Corrói minha carne como um ácido! Teu signo / É o da destruição! Nada resta / Depois de ti ...